coqueiro

Aqui está um poema sobre coqueiros em português:

No horizonte vasto, altivo e sereno,
Ergue-se o coqueiro, símbolo de encanto.
Com folhas dançantes, ao vento ameno,
Um ser gracioso, de viço e encanto.

Seu tronco robusto, de fibra e força,
Sustenta os galhos de verde esplendor.
Como um guardião, que a todos acolhe,
Com braços abertos, de amor e valor.

As folhas em leque, de um verde intenso,
Desenham o céu, com graça e beleza.
Protegem o solo, do sol inclemente,
E embalam sonhos, na brisa que meza.

Do alto, os cocos, frutos saborosos,
Uma dádiva doce, da mãe natureza.
Alimentam vidas, com sabores gostosos,
E saciam a sede, com sua pureza.

Coqueiro, símbolo da terra tropical,
Tu és um presente, que a vida nos dá.
Com tua presença, és tão majestoso,
Um poema vivo, na paisagem a brilhar.

Que o teu exemplo, ó coqueiro querido,
Nos ensine a ser fortes, firmes e altivos.
E que em cada um de nós, haja o sentido,
De amar e cuidar deste mundo cativo.

Coqueiro, em teu abraço, encontro abrigo,
E em teus versos, a poesia floresce.
Em cada folha, um poema antigo,
Que a vida celebra e o tempo enaltece.

Assim, ó coqueiro, segues tua jornada,
Nas praias douradas e no sol a brilhar.
E eu, simples poeta, em versos te canto,
A beleza e a grandeza que em ti estão a habitar.

coqueiros

Deixe um comentário